Piso 3D

Piso 3D

O Poliepox Piso 3D é um sistema epóxi transparente, especialmente desenvolvido para aplicação em pisos adesivados com vinil, utilizado em ambientes residenciais e comerciais. Por se tratar de um kit, contempla uma série de produtos necessários à correta aplicação do sistema, desde o tratamento do substrato (superfície onde será aplicado o produto) até o acabamento final, ficando por conta do comprador apenas a aquisição do adesivo vinílico a ser instalado no piso. O kit é composto por: Primer – sistema epóxi bi componente de baixa viscosidade, aplicado como primeira camada, necessário para garantir a adesão das camadas posteriores ao substrato. Base Niveladora – sistema epóxi bi componente na cor preta, aplicada no substrato previamente tratado com o primer, sendo responsável pelo nivelamento e preenchimento de pequenas imperfeições no piso. Aditivos – componentes a serem adicionados no Epóxi 3D Componente A, responsáveis pelo acabamento final do sistema. Epóxi 3D – sistema epóxi bi componente, responsável pelo acabamento do piso, conferindo alto brilho e inigualável efeito visual.

Principais usos

Utilizado em residências e estabelecimentos comerciais como piso artístico de altíssimo brilho. A utilização está limitada a áreas internas, não sendo permitida a aplicação em áreas externas nem de alta exposição ao sol e à elevadas taxas de raios ultravioleta (UV).

Versões disponíveis

Código Item Quantidade
071264 Piso 3D Kit 37,5 Kg
071266 Piso 3D Avulso 17,0 kg
071290 Piso 3D Avulso 8,5 kg

Composição

Descrição Quantidade Função
Primer Componente A 2,5 kg Promotor de adesão
Primer Componente B 1,5 kg
Base Niveladora Componente A 13,5 kg Sistema autonivelante
Base Niveladora Componente B 3,0 kg
Aditivo 1 117 g Aditivos de performance
Aditivo 2 35 g
Epóxi 3D Componente A 11,99 Kg Acabamento final
Epóxi 3D Componente B 4,858 Kg

 

No caso do Piso 3D Avulso, cada um é composto dos seguintes materiais:

Descrição Quantidade Função
Aditivo 1 117 g Aditivos de performance
Aditivo 2 35 g
Epóxi 3D Componente A 11,99 Kg Acabamento final
11,99 Kg B 4,858 Kg

 

Características Técnicas

Primer

Característica Unidade de medida Primer Componente A Primer Componente B
Relação de trabalho kg 2,5 1,5
Consistência Líquido Líquido
Cor Levemente amarelado Castanho
Tempo de Tack (1) a 25ºC Horas 3

(2) – O tempo de secagem ao toque, diz respeito à propriedade do revestimento após cura parcial, caracterizada pela ausência de aderência na superfície quando levemente pressionada com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta. (3) – O tempo de secagem à pressão diz respeito à propriedade do revestimento após a secagem ao toque, caracterizada pela resistência parcial à pressão, quando levemente pressionado com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta.

 

Base Niveladora

Característica Unidade de medida Base Niveladora Componente A Base Niveladora Componente B
Relação de trabalho kg 13,5 3
Consistência Líquido Líquido
Cor Preto Levemente amarelado
Tempo de Secagem ao Toque (2), a 25ºC Horas 5
Tempo de Secagem à Pressão (3), a 25ºC Horas 45

(2) – O tempo de secagem ao toque, diz respeito à propriedade do revestimento após cura parcial, caracterizada pela ausência de aderência na superfície quando levemente pressionada com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta. (3) – O tempo de secagem à pressão diz respeito à propriedade do revestimento após a secagem ao toque, caracterizada pela resistência parcial à pressão, quando levemente pressionado com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta.

 

Epóxi 3D

Característica Unidade de medida Epóxi 3D Componente A Epóxi 3D Componente B
Relação de trabalho kg 11,9 4,858
Consistência Líquido Líquido
Cor Translúcido Translúcido
Tempo de Secagem ao Toque (2), a 25ºC Horas 4
Tempo de Secagem à Pressão (3), a 25ºC Horas 48
Tempo de Liberação de tráfego humano (4), a 25ºC Dias 4
Tempo de Cura Total (5), a 25ºC Dias 7

(2) – O tempo de secagem ao toque, diz respeito à propriedade do revestimento após cura parcial, caracterizada pela ausência de aderência na superfície quando levemente pressionada com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta. (3) – O tempo de secagem à pressão diz respeito à propriedade do revestimento após a secagem ao toque, caracterizada pela resistência parcial à pressão, quando levemente pressionado com os dedos, porém ainda sem condições de plena utilização devido à cura incompleta. (4) – Tempo necessário à liberação ao tráfego de pessoas. Ainda não é possível a colocação de móveis ou outros objetos sobre o piso. (5) – Tempo de cura total, onde já é possível a realocação de móveis sobre o piso.

 

Rendimento

Cada Kit composto de 37,5 kg, rende de 10m2 (aplicação com 1,5 mm de espessura) a 15m2 (aplicação com 1,0 mm de espessura), desde que seguidas à risca as recomendações deste boletim técnico. No caso da aplicação com 1 mm de espessura, tanto a Base Niveladora quanto o Epóxi 3D devem ser aplicados com espessura de 1 mm cada, porém nessa condição de aplicação, o contrapiso de concreto deve estar impecavelmente liso e nivelado. No caso da aplicação com 1,5 mm de espessura, tanto a Base Niveladora quanto o Epóxi 3D devem ser aplicados com espessura de 1,5 mm cada.

Piso 3D Avulso O produto composto por 17 kg, rende de 10m2 (aplicação com 1,5 mm de espessura) a 15m2 (aplicação com 1,0 mm de espessura), desde que seguidas à risca as recomendações deste boletim técnico. O produto composto por 8,5 kg, rende de 5m2 (aplicação com 1,5 mm de espessura) a 7,5m2 (aplicação com 1,0 mm de espessura), desde que seguidas à risca as recomendações deste boletim técnico.

 

Preparação do substrato

As instruções de aplicação abaixo, refletem nosso maior conhecimento sobre o produto em questão. Esclarecemos se tratar de uma aplicação extremamente técnica e minuciosa, sendo assim independentemente da leitura e entendimento das instruções disponibilizadas neste boletim técnico, recomendamos que a aplicação seja feita por um profissional da área.

 

Preparação do substrato

O substrato nada mais é do que a superfície que receberá o Poliepox Piso Epóxi Metalizado, ou seja, o próprio piso. São várias as possibilidades de substratos que podem ser encontradas numa determinada aplicação, tais como contrapiso de concreto, piso de concreto pintado, piso com revestimento cerâmico, piso de madeira (tacos e parquetes), piso de carpete, entre outras possibilidades.

A preparação adequada do substrato é essencial para o sucesso das aplicações posteriores (primer + base niveladora + epóxi metalizado), sendo assim torna-se fator crucial para que sejam alcançados os resultados esperados na aplicação do acabamento metalizado.

Cada tipo de substrato deve ter um tratamento diferente, de forma a atingir os parâmetros mínimos que garantam o sucesso da aplicação, sendo que para todos os casos é obrigatório que o substrato:

 

ESTEJA TOTALMENTE NIVELADO

Um substrato nivelado garante que a camada de resina aplicada seja uniforme, evitando que a resina migre para as partes mais baixas do piso, garantindo assim a uniformidade na espessura final do produto aplicado.

 

NÃO APRESENTE RANHURAS, REJUNTES OU BURACOS

Um substrato sem imperfeições, comparado à concreto novo, auxilia na qualidade do acabamento final após a aplicação das resinas. Mesmo que durante a aplicação, a resina cubra as imperfeições, durante o processo de cura a contração do sistema fará com que as imperfeições sejam copiadas para a superfície, comprometendo a qualidade no acabamento do sistema.

 

ESTEJA TOTALMENTE LIVRE DE CONTAMINANTES

A presença de contaminantes como poeira, óleos, graxas, produtos químicos, entre outros, prejudica na adesão do produto ao substrato, podendo causar desplacamento e/ou incompatibilidade com os materiais do Poliepox Piso Epóxi Metalizado.

Sendo assim, deve-se limpar criteriosamente o substrato antes da aplicação do produto

 

ESTEJA LIVRE DE TINTAS E OUTROS REVESTIMENTOS

A presença de tintas e outros revestimentos no substrato, compromete a aderência final do sistema, sendo assim estes devem ser removidos ou lixados antes da aplicação do Poliepox Piso Epóxi Metalizado.

 

ESTEJA TOTALMENTE SECO

A presença de água ou umidade, compromete na qualidade final da aplicação, sendo assim, certifique-se de que o substrato esteja totalmente seco.

A não observância das instruções acima, comprometem a aplicação como um todo, podendo gerar desplacamento, interferência nas reações químicas do sistema e acabamento inadequado.
Contrapiso de concreto.

No caso de contrapiso de concreto, deve-se aguardar pelo menos 28 dias para que se garanta a cura total do concreto. Após a cura, o contrapiso deve ser lixado manualmente ou utilizando-se maquinário adequado (lixadeira de disco diamantado), no intuito de se obter uma superfície lisa e uniforme. Após o lixamento, deve-se proceder com a limpeza total da área, observando as instruções de preparação do substrato do item 7.1.

Figura 1: Exemplo de contrapiso de concreto.

 

Piso de concreto pintado

No caso de piso de concreto pintado, deve-se remover toda a tinta da superfície utilizando-se de espátulas (quando for possível o desplacamento da tinta), ou equipamento para lixar o piso (lixadeira de disco diamantado), lembrando que como resultado final deve-se obter um piso nivelado. Após a completa remoção da tinta, deve-se proceder com a limpeza total da área, observando as instruções de preparação do substrato do item 7.1.

Figura 2: Exemplo de remoção da tinta em piso

 

 Piso com revestimento cerâmico

No caso de pisos com revestimento cerâmico, proceda com a remoção do revestimento:

1. Remoção completa do revestimento cerâmico – Neste caso, todo o revestimento cerâmico deve ser removido. Após a remoção do revestimento, o contrapiso deve ser regularizado por lixamento, ou no caso de haver muitas imperfeições provenientes da retirada da cerâmica, deve-se aplicar uma outra camada de concreto, visando regularizar a superfície. Neste caso, deve-se aguardar pelo menos 28 dias para que se garanta a cura total do concreto. Passados os 28 dias, deve-se proceder com as instruções do item 7.1.1.

Figura 3: Exemplo de remoção de revestimento cerâmico

 

Piso de madeira.

No caso de pisos de madeira (taco ou parquete), toda a madeira deve ser retirada e o piso regularizado utilizando-se lixadeira. Após a regularização, proceder com as instruções do item 7.1.

Figura 4: Remoção de taco de madeira.

 

Piso de carpete.

No caso de pisos de carpete, todo o revestimento deve ser retirado e o piso regularizado utilizando-se lixadeira. Após a regularização, proceder com as instruções do item 7.1.

Figura 5: Remoção de carpete.

 

Informações sobre o Poliepox Piso 3D

O Poliepox Piso 3D, é composto por resinas base epóxi. Resinas epóxi são conhecidas por sua excelente trabalhabilidade bem como excelentes propriedades mecânicas. Para que ocorra a reação de endurecimento da resina epóxi, a mesma deve ser reagida com seu respectivo endurecedor, o qual faz parte deste kit. Sistemas epóxi estão sujeitos à algumas condições as quais podem interferir na qualidade da aplicação, sendo assim vale a pena citar:

• Temperatura – nos sistemas base epóxi, quanto maior a temperatura, maior será a velocidade da reação entre a resina e o endurecedor. Esta condição vale tanto para a temperatura do ambiente quanto para a temperatura dos produtos em si. Sendo assim, em ambientes com temperaturas acima de 25ºC, a reatividade do produto será maior, portanto deve-se estar preparado para um material mais reativo. Inversamente, se a temperatura do ambiente se encontra a menos de 25ºC, a reatividade diminui.

• Volume – quanto maior o volume de material a ser misturado, maior a reatividade do sistema, ou seja, sempre que se proceder com a correta homogeneização do material, não se pode aguardar com o material no recipiente, sob risco de o mesmo endurecer dentro do balde. Sendo assim, após a correta homogeneização, o material deve ser imediatamente aplicado no substrato. Uma vez em contato com o substrato, na forma de película, consegue-se um bom tempo de trabalho com o material.

• Umidade – em ambientes com alto índice de umidade relativa (acima de 70%), existe o risco de ocorrerem manchas na superfície da resina, sendo assim é aconselhável sempre aplicar as resinas sob umidade relativa controlada (até 60%), ou pelo menos evitar aplicações em dias de chuva.

• Homogeneização – por se tratar de um sistema bicomponente (necessário proceder com a adição de um endurecedor para a cura da resina), deve-se dar atenção especial à homogeneização dos componentes. Um sistema mal homogeneizado pode não curar corretamente, impactando consideravelmente nas propriedades mecânicas, além de interferir na cor final do sistema.

 

 

Aplicação do Poliepox Piso 3D

Para correta aplicação do Poliepox Piso 3D, deve-se seguir os procedimentos e etapas descritas abaixo, sempre após a preparação do substrato segundo o item 7.1.

Etapa 1 – Aplicação do Primer

A função do Primer é promover a adesão entre o substrato (piso) e a Base Niveladora. O primer é composto de:

Primer Componente A 2,5 kg
Primer Componente B 1,5 kg

 

Deve-se adicionar todo o conteúdo da embalagem do Primer Componente B, dentro da embalagem do Primer Componente A, e homogeneizar manualmente (com auxílio de haste metálica, espátula de confeiteiro ou ferramenta semelhante), por no mínimo 2 minutos. Durante a homogeneização deve-se raspar o balde em sua lateral e fundo, para garantir uma correta mistura.

Após homogeneização, aplicar o primer no substrato com auxílio de uma espátula metálica. Aguardar o tempo de Tack (O termo “Tack” diz respeito à propriedade que o revestimento apresenta após a aplicação, sendo caracterizada pela cura parcial do mesmo o qual apresenta adesividade semelhante à uma fita crepe, com aderência ao toque, porém, sem se desprender do substrato).

IMPORTANTE: A aplicação da segunda camada (que será explicada na sequência) deve ser realizada enquanto o Primer apresenta adesividade superficial (Tack). Caso deixe passar o tempo de Tack, o primer tende a curar totalmente formando uma superfície lisa e vítrea, sendo assim, deve-se lixar toda a superfície manualmente para criação de ranhuras, auxiliando na ancoragem da camada de Base Niveladora.

Etapa 2 – Aplicação da Base Niveladora

A Base Niveladora é um sistema base epóxi com propriedades de auto nivelamento, na cor branca. Sua função

principal é promover o nivelamento do piso bem como garantir um acabamento liso necessário à aplicação do

adesivo vinílico. A Base Niveladora é formada por:

Base Niveladora Componente A 13,5 kg
Base Niveladora Componente B 3,0 kg

 

Deve-se homogeneizar manualmente ou com auxílio de misturador mecânico, todo o conteúdo da Base Niveladora

Componente A. Esta homogeneização é necessária para uniformizar o produto, que por conter cargas minerais,

pode decantar enquanto estocado.

Adicionar todo o conteúdo da embalagem da Base Niveladora Componente B dentro da embalagem da Base

Niveladora Componente A, e homogeneizar manualmente (com auxílio de haste metálica, espátula de confeiteiro

ou ferramenta semelhante), ou utilizando-se misturador mecânico, por no mínimo 2 minutos. Durante a

homogeneização deve-se raspar o balde em sua lateral e fundo, para garantir uma correta mistura. Espalhar

uniformemente todo o conteúdo no piso previamente tratado com Primer, utilizando para este fim um rodo dentado

regulado para camada de 1,5 mm.


Figura 6: Rodo Dentado

Figura 7: Detalhe da regulagem de altura

Figura 8: Detalhe da aplicação com rodo dentado

Figura 9: Sapato de prego

 

É altamente recomendável o uso de sapato de prego (ilustrado na figura 10) para não deixar marcas e facilitar a

aplicação da Base Niveladora.

Após espalhar uniformemente todo o conteúdo da Base Niveladora com o rodo dentado, deve-se utilizar um rolo

quebra bolhas com o objetivo de estourar as bolhas de ar formadas durante a homogeneização e aplicação do

material. Utilize o rolo quebra bolhas em movimentos verticais, como se estivesse realizando uma pintura.

Figura 10: Rolo quebra bolhas Figura 11: Utilizando rolo quebra bolhas

 

Após o término da aplicação, deixar o local totalmente fechado (fechar portas, janelas, frestas etc) para evitar a

entrada de insetos e poeira, que ao entrar em contato com a Base Niveladora, comprometerão a qualidade final do

piso. Aguardar 48 horas para dar sequência à aplicação. Passado este período, o piso deve ser limpo com pano

umedecido com álcool, retirando qualquer traço de gordura e ou poeira, preparando o piso para receber o adesivo

vinílico.

 

Etapa 3 – Aplicação do Adesivo Vinílico

O adesivo vinílico a ser utilizado, pode ser impresso de acordo com a criatividade do usuário final. São infinitas as

possibilidades de figuras, paisagens e fotos que podem ser impressas no vinil, de modo a tornar o piso uma obra

de arte única e criativa. Vale ressaltar que indicamos SEMPRE a utilização de adesivos vinílicos laminados, ou

seja, com uma película de vinil transparente por cima da impressão, para que não ocorram riscos ou borrados

durante a aplicação do Epóxi 3D.

Aconselhamos que a instalação do adesivo vinílico, seja feita por um profissional da área.

 

Etapa 4 – Aplicação do Epóxi 3D

O Piso 3D é um piso artístico de alto nível de brilho, composto por:

Aditivo 1 117 g
Aditivo 2 35 g
Epóxi 3D Componente A 11,99 Kg
Epóxi 3D Componente B 4,858 Kg

 

Deve-se abrir a embalagem do Epóxi 3D Componente A e homogeneizar manualmente (com auxílio de haste

metálica, espátula de confeiteiro ou ferramenta semelhante), por no mínimo 2 minutos. Esta homogeneização tem

por objetivo uniformizar a resina.

Após a homogeneização, adicionar todo o conteúdo do Aditivo 1 na embalagem do Epóxi 3D Componente A, e

homogeneizar por 2 minutos.

Adicionar todo o conteúdo do Aditivo 2 na embalagem do Epóxi 3D Componente A e homogeneizar por 2 minutos.

Após a homogeneização dos aditivos, adicionar todo o conteúdo da embalagem do Epóxi 3D Componente B,

dentro da embalagem do Epóxi 3D Componente A, e homogeneizar por cerca de 2 minutos (com auxílio de haste

metálica, espátula de confeiteiro ou ferramenta semelhante). Durante a homogeneização deve-se raspar o balde

em sua lateral e fundo, para garantir uma correta mistura.

IMPORTANTE: Uma boa homogeneização é essencial para se obter o resultado final esperado. Um produto mal

homogeneizado pode resultar numa película flexível e sem propriedades mecânicas, além de má formação e

trechos que não reagem, ficando permanentemente pegajosos ou com marcas e pontos irregulares.

Após a homogeneização dois componentes, deve-se espalhar o produto no piso de maneira uniforme.

Após espalhar o material sobre o piso, deve-se utilizar um rodo comum com lâmina de EVA para uniformizar o material sobre toda a área. Não se deve pressionar o rodo contra o piso, sendo assim deve-se segurar levemente na ponta do cabo e deixar que o próprio peso do rodo possa espalhar o produto. Importante utilizar sapato de prego para aplicação do material.

IMPORTANTE: É extremamente recomendável que a aplicação seja feita a partir de uma extremidade do piso, trazendo-se o material com o rodo para a extremidade oposta, evitando pisar na área onde o material já foi devidamente espalhado.

A utilização do rolo quebra bolhas geralmente não é necessária. Apenas se faz necessário o uso do rolo quebra bolhas quando durante a mistura dos componentes, forem geradas muitas bolhas de ar.

Após o término da aplicação, a sala deve ser mantida totalmente fechada, para que não entrem insetos ou poeiras, que comprometem a qualidade no acabamento final do revestimento.

O piso estará liberado para tráfego humano após 4 dias contados do término da aplicação da última camada estando pronto para receber móveis a partir do sétimo dia da aplicação. As instruções de aplicação acima citadas, refletem nosso maior conhecimento sobre o produto em questão. Esclarecemos se tratar de uma aplicação extremamente técnica e minuciosa, sendo assim independente da leitura e entendimento das instruções disponibilizadas neste boletim técnico, recomendamos que a aplicação seja feita por um profissional da área.

Figura 12: Piso pronto para uso

 

Cuidados e manutenção

Mantenha o piso sempre encerado. Sempre utilize feltros debaixo de pés de cadeira, mesas, sofás e outros móveis. Evite a queda de objetos pontiagudos sobre o piso. Utilize apenas pano umedecido com água e detergente neutro para limpeza do piso. Tenha o máximo de atenção com solados de sapato que possam conter pedras e ou pregos, pois os mesmos riscam o revestimento.

 

Estocagem e Validade

O produto pode ser armazenado por até 12 meses a partir de sua data de fabricação, devendo ser mantido em ambiente seco, limpo, e em temperaturas entre 5° C e 25° C. Manter afastado de fontes de calor.

 

Meio ambiente

O produto não deve ser descartado antes de sua cura total, pois é nocivo para o meio aquoso e terrestre. Após curado, o produto se torna inofensivo ao meio ambiente, porém, permanece não biodegradável. Descarte em local adequado, conforme regulamentação vigente. Não reutilize as embalagens.

 

Precauções

Como todo produto químico, este material deve ser manipulado seguindo as orientações de segurança do trabalho. Utilize equipamento de proteção individual (EPI) como luvas descartáveis, óculos de proteção, e máscaras contra vapores orgânicos. Manipule em locais frescos e ventilados. Feche as embalagens imediatamente após seu uso.

 

Descarte de embalagens

Destinar as embalagens vazias para reciclagem. Em caso de sobra de produto, reagir o mesmo aplicando em lugar aberto e arejado para que se forme um filme plástico e inerte.

 

Considerações finais

As informações acima citadas são concedidas de boa-fé sem implicar em qualquer garantia, inclusive no que se refere a direitos de terceiros. Tal fato não exime o cliente da avaliação e testes de aplicação para o uso e processamento desejados. A aplicação, uso e processamento dos produtos fogem do nosso controle e são, portanto, de inteira responsabilidade do cliente. Garantimos, a qualidade dos nossos produtos dentro das nossas condições gerais de venda e dos limites de especificação.

XSLT by CarLake