Resinas G4 rígida – Sistema de resinagem a frio

Resinas G4 rígida – Sistema de resinagem a frio

A Linha Epóxi G4 é composta por sistemas bi componentes a base de resinas epóxi e endurecedores. Possui baixa viscosidade o que permite um escoamento/espalhamento mais fácil sobre a superfície aplicada, facilitando sua aplicação e fazendo com que haja menor incidência de bolhas após aplicado. Possui maior resistência a umidade e não necessita de estufa ou mesa de resinagem para secar “endurecer”, mantendo seu acabamento sempre brilhante, sem estrias e que não empenam. São sistemas recomendados para uso interno e permitem pigmentação.

 

Sistema Rígido – Resina Rígida G4 + Endurecedor G4

Após misturado e aplicado forma uma camada transparente, rígida “vitrificada” sobre a superfície da peça.

Indicado para resinagem de objetos rígidos como plaquetas metálicas, chaves, chaveiros, bijuterias, bottons, medalhas religiosas, fivelas, e outros proporcionando um acabamento brilhante que valoriza o seu trabalho.

 

Veja abaixo as proporções de mistura para uso das Resinas G4 Rígida.

Os produtos e proporções de mistura, podem ser medidas em gramas (“peso”) usando balanças ou medidas em mililitros-ml (volume).

 

Sistema Rígido
Resina Rígida G4
Medidas Fixas (copinho) 2:1
Endurecimento 1h a 45 – 50 ºC 24h a ambiente

 

PASSO A PASSO: PROCESSO DE RESINAGEM EM CHAVEIROS E ETIQUETAS AUTO-ADESIVAS

passopasso

A Resina Rígida G4 é utilizada na resinagem de plaquetas metálicas, chaves, chaveiros, bijuterias, bottons medalhas comemorativas e religiosas, fivelas, proporcionando um brilho vitrificado, valorizando o seu trabalho.

A Resina Flexível G4 é utilizada na resinagem de etiquetas proporcionando brilho e transparência total e alta flexibilidade.

Os sistemas G4 não necessitam de estufas ou mesas resinadoras para secar, pois as mesmas secam temperatura ambiente (25ºC) em um período de 14 a 24 horas.

Companhias que necessitam de maior velocidade na produção, além de um controle de reprodutibilidade utilizam estufas ou mesas resinadoras térmicas para acelerar sua produção.

Ambos os processos resultam em peças com um acabamento brilhante e primoroso.

 

MATERIAL NECESSÁRIO:

– Mesa térmica de resinagem para alta produtividade

– Estufa para cura para alta produtividade

– Sistemas G4 Rígidas ou Flexíveis

– Etiquetas auto-adesivas

– Balança ou recipiente para dosagem por volume

– Copos descartáveis pequenos de plástico, para dosagem

– Copos descartáveis grandes, para a mistura

– Palitos de sorvete

– Cola permanente em spray

– Corante Líquido ou Pasta corante Polipox em caso de colorir a resina

– Termômetro de superfície

– Álcool para a limpeza

 

OBSERVAÇÕES PARA OS SISTEMAS G4 (CURA A QUENTE E A FRIO)

Usando os sistemas G4 é possível realizar a resinagem a frio seguindo o mesmo processo acima, contudo, não é necessário trabalhar com aquecimentos, seja estufa ou mesa térmica. Basta trabalhar em uma bancada nivelada ou chapa de vidro. O sistema foi desenvolvido para trabalhar a temperatura ambiente (25ºC), porem, nos dias frios, sugerimos deixar o produto curando por mais tempo, além das 24 horas. O frio desacelera a reação, o calor acelera fazendo com que haja uma variação no tempo de secagem e cura total.

Veja as perguntas e respostas mais frequentes e tire suas dúvidas, se ainda assim não encontrar a informação desejada, entre em contato com nosso departamento técnico que estará à disposição para ajudá-lo:

 

 

aplicacao

Veja a figura ao lado, a resina sendo aplicado em uma etiqueta, depois do endurecimento, além de criar uma película vitrificada, a resina “realça” a cor da mídia impressa, protege a peça e da maior durabilidade e sofisticação ao seu produto.

Estas resinas podem ser aplicadas em etiquetas, bottons, chaveiros, medalhas, tecidos, logomarcas, para os mercados calçadista, vestuário, eletrodomésticos, automobilístico, naval, sinalização, brindes promocionais e outros.

 

 

 

 

 

 

 

PASTAS CORANTE

As pastas corante permitem pigmentar resinas epóxi, poliuretânicas, poliésteres e outras.

São ideais para o processo de esmaltação de peças coloridas e diversas outras aplicações.

Misturando 1 a 5% da pasta corante ao sistema epóxi, por exemplo é possível obter cores diretas ou combinadas. Quando se faz misturas entre as pastas corantes, as possibilidades de cores são ilimitadas.

 

Veja abaixo as cores das pastas corante e seus respectivos códigos:

Verde Escuro
CP 1060 E
Vermelho
CP 1099
Verde
CP 1061 E
Laranja
CP 1055
Azul
CP 1091 E
Preta
CP 1089
Azul Piscina
CP 1108
Cinza Médio
CP 1076 Médio
Branco
CP 1072 E
Cinza Claro
CP 1076 Claro
Bege Canalização
CP 1116 E
Marrom
CP 1059
Amarelo
CP 1094 E

Obs.: a tabela acima tem caráter referencial, podendo haver alguma divergência do produto real e do que é visto na tela do computador ou impresso.

 

Alguns cuidados podem garantir a qualidade do seu produto final

Evitar exposição das peças a raios ultravioletas (luz solar, lâmpadas fluorescentes) para não haver amarelamento, fosqueamento, empenamento e endurecimento da peça.

No caso da utilização de equipamentos térmicos, não ultrapassar 50°C, pois o calor excessivo danificará as peças.

O ambiente de aplicação deverá ser fechado e isento de poeira e elementos suspensos no ar.

 

Segurança e proteção ambiental

Por se tratar de produtos químicos, algumas precauções deverão ser tomadas:

– Manter fora do alcance de crianças e animais.

– Manter longe de alimentos e bebidas.

– Não fumar, beber ou comer no local de trabalho.

– Não descartar as sobras em pias, tanques e ralos, para não afetar o meio ambiente.

– Em casos de ingestão acidental, procurar auxílio médico, levando a embalagem do produto.

 

Para obter mais informações, acesse a página de dúvidas frequentes sobre resinagem de brindes e etiquetas.

Outros produtos Polipox